Reflexão

"Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo." Paulo Freire

quarta-feira, 15 de junho de 2011

MATEMÁTICA EM FOCO

FIQUE LIGADO:

O traço do sete.



De todos os números de nosso sistema, o sete é considerado um número sagrado pela maioria dos povos antigos.

Porém, não há nada de sagrado, nem segredos ou mistérios em torno da grafia do número 7. Para melhor entender as várias grafias do número 7, deve-se lembrar que nosso sistema é originário do sistema indo-arábico. Já viu antes um texto escrito em árabe? A forma manuscrita, esquisita para os povos ocidentais, traz indícios de uma escrita rápida, como a escrita das taquigrafas atuais. Nos livros produzidos pelos sábios árabes de onde os ocidentais da Idade Média copiaram os algarismos que usamos até hoje, os algarismos eram manuscritos, e as "letras" dos escribas, hindus ou árabes, eram muito diferentes entre si, tal como são nossas assinaturas.

No quadro abaixo pode-se perceber a evolução da forma dos algarismos hindu-arábicos. A forma dos algarismos só se estabilizou com a invenção da imprensa por Gutemberg no fim do séc. XV.



O traço do sete é um recurso utilizado nas escolas para que os alunos das séries iniciais diferenciem sua forma, da escrita do número 1. O mesmo recurso é utilizado tem sido utilizado em atividades relacionadas à informática, para orientar os digitadores na diferenciação do "zero" em relação à letra "O". O zero é colocando-se um traço interno na diagonal.

Moral da história: Não há obrigatoriedade em escrever o sete com traço, nem sem traço.


Para um melhor aprofundamento sobre a história dos números e sua escrita leia:

- Matemática Atual (5a. e 7a.). Antonio José Lopes Bigode. Atual Editora.

- Os Números. A história de uma grande invenção. Georges Ifrah. Editora Globo.

- Números. Malba Tahan. Editora Record.



GEOPLANO:

O Geoplano é composto por um tabuleiro quadrado, retangular ou mesmo circular. O mais utilizado é um objeto formado por um pedaço de madeira, com dimensão aproximada de 24cm x 24cm, sobre o qual desenhamos uma malha quadriculada em que são formados quadrados com 2 centímetros de lado. Em cada vértice desses quadrados, fixamos um prego numa determinada distribuição, onde se prenderão os elásticos usados para “desenhar” sobre o Geoplano.


Alguns exemplos:




De acordo com Sabbatiello (1967), “o Geoplano é um modelo matemático que permite traduzir ou sugerir ideias matemáticas.” sendo um recurso didático-pedagógico dinâmico e manipulativo que permite construir, movimentar e desfazer. Contribui para explorar problemas geométricos e algébricos, possibilitando a aferição de conjecturas e ainda, o registro da atividade em papel quadriculado. Além disso, facilita o desenvolvimento das habilidades de exploração espacial, comparação, relação, sequência, envolvendo conceitos de frações e suas operações, simetria, reflexão, rotação e translação, perímetro e área.

Finalizando, o Geoplano é uma ferramenta riquissíma para o ensino da matemática, pois o mesmo permite uma abordagem diferente na resolução de problemas, relacionando Espaço e Forma , Grandezas e Medidas, Números e Operaçãoes. Tudo isso em um só momento de aprendizagem.


Algumas etapas para a exploração do geoplano:


1. Desenhar livremente no geoplano (manipulação dos elásticos à vontade, composição livre);

2. Desenhar um objeto presente no local ou dito por outra pessoa;

3. Reproduzir uma figura desenhada no papel quadriculado;

4. Preencher o geoplano com uma sequência dada e completá-la;

5. Fazer transformações numa figura apresentada inicialmente;

6. Explorar noções de: dentro, fora, em cima, em baixo… através da resolução de problemas;

7. Explorar labirintos e caminhos: desenvolvendo o conceito de longo e curto, perto e longe.


Agora, um desafio: reproduza as figuras abaixo no Geoplano. Em seguida, calcule de cada uma a área e o perímetro.



Aproveitem as dicas!
Coordenadoras de Matemática



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget