Reflexão

"Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo." Paulo Freire

ARTE

" A música em qualquer latitude é linguagem universal, é uma dádiva que Deus concede ao espírito para sua ventura eterna, é energia cósmica expressa em sons ao invés de palavras, é a composição sonora que vibra pelo infinito sob sob a batuta do Regente Divino, traz em sua intimidade a palpitação da própria natureza, plena de forças criadoras, contendo em si a beleza, a poesia, a inspiração e o êxtase."
(Ramatís)


ORIENTAÇÕES PARA O ENSINO DE ARTE E MÚSICA
 1º SEGMENTO






  •  O ensino de arte constituirá componente curricular obrigatório nos diversos níveis da educação básica, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos. (ARTIGO 26 & 2º DA LEI 9394/96 – A ARTE OBRIGATÓRIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA ) .

  •  Os conteúdos de Arte estão apresentados de forma genérica através das suas linguagens: Arte Visual, Música, Teatro e Dança com o intuito de possibilitar a reflexão por parte de quem vai construí-los e aplicá-los. Não são receitas, mas pontos para serem considerados na elaboração de currículos em cada Unidade Escolar.
  • É fundamental que o professor discuta conteúdos, métodos e procedimentos junto com a equipe escolar. A prática pedagógica é social, ou seja, engloba a equipe de trabalho da escola e a rede educacional como um todo.

  •  Lei nº 11.769/200819/8/2008 LEI Nº 11.769, DE 18 DE AGOSTO DE 2008 DOU 19.08.2008 Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º O art. 26 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, passa a vigorar acrescido do seguinte § 6º:"Art. 26. .............................................................................................................................................................................................§ 6º A música deverá ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo, do componente curricular de que trata o § 2º deste artigo." (NR) Art. 2º (VETADO) Art. 3º Os sistemas de ensino terão 3 (três) anos letivos para se adaptarem às exigências estabelecidas nos arts. 1º e 2º desta Lei. Art. 4º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.Brasília, 18 de agosto de 2008; 187º da Independência e 120º da República. LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Fernando Haddad
O objetivo não é formar músicos, mas desenvolver a criatividade, a sensibilidade e a integração dos alunos.
A música não será necessariamente uma disciplina exclusiva. Ela integrará o Ensino de Arte como linguagem e poderá estar presente em outros componentes curriculares criando um diálogo interdisciplinar.

  •  O MEC recomenda que, além das noções básicas de música, dos cantos cívicos nacionais e dos sons de instrumentos de orquestra, os alunos aprendam cantos, ritmos, danças e sons de instrumentos regionais e folclóricos para, assim, conhecer a diversidade cultural do Brasil.

  •  As escolas terão autonomia para decidir o que será trabalhado. É muito complicado impor um conteúdo programático obrigatório para as aulas.

  •  A proposta legal e de se realizar um ensino musical sensibilizador,capaz de priorizar a formação estético-musical dos alunos.

  •  “Não queremos formar músicos, mas desenvolver a criticidade para não aceitar tudo o que a mídia impõe, conhecer as raízes da música brasileira, despertar o gosto pela música, preservar nosso patrimônio musical e aumentar o repertório musical dos alunos”.

O QUE É ARTE
"Não é possível estar dentro da civilização e fora da arte."

(Rui Barbosa)

A arte é uma criação humana com valores estéticos (beleza, equilíbrio, harmonia, revolta...) que sintetizam as suas emoções, sua história, seus sentimentos e a sua cultura. Por tais razões, é sensibilizadora, crítica, além de desenvolver a criatividade e a integração. Apresenta-se sob várias linguagens: a plástica, a música, a escultura, o cinema, o teatro, a dança, a arquitetura, entre outras.


QUEM FAZ ARTE

"A finalidade da arte é dar corpo à essência secreta das coisas, não é copiar sua aparência."

(Aristóteles)

O homem criou objetos para satisfazer as suas necessidades práticas, como as ferramentas para cavar a terra e os utensílios de cozinha. Outros objetos são criados por serem interessantes ou possuírem um caráter instrutivo. O homem cria a arte como meio de vida, para que o mundo saiba o que pensa, para divulgar as suas crenças (ou as de outros), para estimular, distrair a si mesmo e aos outros, para explorar novas formas de olhar e interpretar objetos e cenas.


POR QUE O MUNDO NECESSITA DE ARTE

“A função da arte não é passar por portas abertas, mas a de abrir portas fechadas.”

(Ernst Fisher)

Porque fazemos arte e para que a usamos é aquilo que chamamos de função da arte. O objeto artístico pode ser criado para: decorar o mundo, espelhar o nosso mundo (naturalista), ajudar no dia-a-dia (utilitária), explicar, descrever a história, ser usado na cura de doenças e ajudar a explorar e interpretar o mundo.


COMO ENTENDEMOS A ARTE

"A arte é a contemplação: é o prazer do espírito que penetra a natureza e descobre que ela também tem uma alma. É a missão mais sublime do homem, pois é o exercício do pensamento que busca compreender o universo, e fazer com que os outros o compreendam."

(Auguste Rodin)

O que vemos quando admiramos uma arte depende da nossa experiência estética, disposição no momento, imaginação, do nosso conhecimento e daquilo que o artista pretendeu mostrar.


O QUE É ESTILO

"A arte é a assinatura da civilização.”

(Beverly Sills)

Estilo, em geral, indica um grupo de características mais ou menos constantes e definidas que permitem a identificação da arte produzida em um dado período histórico (estilo medieval, por exemplo).

Estilo é a forma de como o trabalho se mostra depois de o artista ter tomado suas decisões. Cada artista possui um estilo único.

Imaginem se todas as peças de arte feitas até hoje fossem expostas num grande salão. Nunca conseguiríamos ver quem as fez, quando e como. Os artistas e as pessoas que registram as mudanças na forma de se fazer arte, no caso os críticos e historiadores, costumam classificá-las por categorias e rotulá-las. É um procedimento comum na arte ocidental.


COMO CONSEGUIMOS VER AS TRANSFORMAÇÕES DO MUNDO ATRAVÉS DA ARTE E COMO AS IDÉIAS SE ESPALHAM

"É incontestável que a arte deve conter valor social; como poderoso meio de comunicação que é, deve ser dirigida e em termos compreensíveis à percepção da humanidade."

(Rockwell Kent)

Quando somos capazes de dialogar com a arte (quando, onde, como e por qual motivo o objeto artístico foi produzido), podemos entender as mudanças sofridas no contexto social.

Exploradores, comerciantes, vendedores e artistas costumam apresentar às pessoas idéias de outras culturas. Os progressos na tecnologia também difundiram técnicas e teorias. Elas se espalham através da arqueologia, quando se descobrem objetos de outras civilizações.

Pela fotografia, a arte passou a ser reproduzida e, nos anos 1890, muitas das revistas internacionais de arte já tinham fotos.

Através do rádio (inventado em 1895) e da televisão (em 1926), idéias foram transmitidas por todo o mundo rapidamente; os estilos de arte, observados, as teorias debatidas e as técnicas compartilhadas pela imprensa, criação de Johann Guttenberg por volta de 1450.

A partir de então, os livros e a arte podiam ser impressos e distribuídos em grande quantidade.

Hoje, a Internet, enquanto veículo de comunicação, possibilita a pesquisa, o estudo e o conhecimento de obras, estilos e artistas.
Ocorreu um erro neste gadget