Reflexão

"Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo." Paulo Freire

HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA

ORIENTAÇÕES SOBRE AS DIRETRIZES DA HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA


Implementação das leis n°s 10.639/03 e 11.645/08

Carmen :coordenadora 2° ao 5° ano

Lei n° 10.639/03

• No seu Art. 26-A estabelece a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares.

• O conteúdo programático incluirá o estudo da História da África e dos Africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinentes à História do Brasil.

• Os conteúdos referentes à História e Cultura Afro-Brasileira serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de Educação Artística e de Literatura e História Brasileiras.

• O calendário escolar incluirá o dia 20 de novembro como ‘Dia Nacional da Consciência Negra’."

• .

Lei 11.645-08

• Nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados, torna-se obrigatório o estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena.

• O conteúdo programático incluirá diversos aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira, a partir desses dois grupos étnicos, tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil.

• Os conteúdos referentes à história e cultura afro-brasileira e dos povos indígenas brasileiros serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de educação artística e de literatura e história brasileiras

Atenção!!!

• Trabalhar a História e Cultura Afro-brasileira e indígena não como culminância, mas como processo de inserção de valores e de reconhecimento das diferenças entre os diversos grupos que constituem o povo brasileiro.

• Focar a demanda das comunidades escolares, buscando dar ênfase a cultura local, aquela que realmente tem significado.



• Cuidado para não vitimizar a população negra como coitados. É muito comum colocá-los da condição de indivíduos que só sofreram agressões e que são coitados. Destacar que todos nós somos agentes sociais e que o processo histórico é uma construção.







Ocorreu um erro neste gadget